Calma

Calma! É preciso é ter calma neste mundo cada vez mais louco. Calma connosco mesmos e com os outros, calma a julgar, calma a ouvir, calma a falar, calma a viver.

Às vezes é preciso tempo. Parar! Faz-nos falta no meio de tanto stress e algazarra (e eu como irmão de uma família numerosa sei bem o que isso é!).

Calma para contemplar e descobrir o mundo que nos rodeia e em especial para nos (re)descobrirmos a nós próprios e o que andamos por aqui a fazer. Calma para duvidar, perguntar, pensar, reflectir. Reflectir sobre tudo e nada. Reflectir o porquê das coisas. Ir ao fundo da questão.

Calma é necessária para mudar o outro e o mundo ou mudarmos com ele.

É preciso ter calma porque nem sempre há a inspiração ou ideias e quando as há, é preciso pensa-las, saboreá-las e a seu tempo partilhar.  Partilhar pela sua necessidade ou porque é o que deve ser feito. Partilha sem medos, em desabafo, em discussão, em musica, em prosa, em poesia…

Partilhar porque a partilha enriquece reciprocamente. Faz bem. Ajuda e faz-nos crescer.

Calma, para não deixar escapar os pequenos detalhes, por vezes os mais essenciais, do dia a dia. Para, com tempo apreciar tudo o que este universo tem de belo e melhor. A pressa geralmente turva a sua essência.

Calma! É preciso é ter calma! A calma é essencial. Mas não em demasia, que corremos o risco de a confundir com apatia.

 

P.S.: É preciso ter calma, porque não prometo periodicidade certa mas a partilha daquilo que me vai na cabeça e coração no momento em que eles assim decidirem.

Anúncios