O Pai

Um recordar da distinta inocência,
Uma lufada de ar fresco de simplicidade,
Nostalgia do sorriso livre e despreocupado
Saudade de uma estrada já caminhada,
Uma sabedoria que aos seus será passada,
Um ser-se mesmo quando ser não se sabe,
Esquecendo tudo o que tinha idealizado
Só se aprender a ser, sendo na realidade
Um temor constante em falhar,
reflexo de um amor difícil de explicar
pondo-se sempre em segundo lugar,
Um acompanhar de cada primeiro passo
Constando que o tempo corre, parece escasso
Como apoio em cada, da vida, decisão
Um observar de com a idade, a maturidade
enredado com amolecimento do próprio coração
Um saber e tentar estar sempre presente,
num eterno sentimento de alegria e gratidão

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s