Uns com os outros

Gosto de estar sozinho, mas faz-me falta a companhia,
Sozinho, sonho, o que acompanhado conseguiria,
Em companhia, penso o que de mim sozinho seria.
Sozinho, perco-me em mim, penso, leio, escrevo, reflito,
Contigo, encontro-me, falamos, discutimos o infinito.

A companhia faz-me falta, preenche-me, mas as vezes não apetece,
Silêncio, esse delicioso tesouro que sem o ruído, desconhecia,
Saudade boa, que quando só, descubro, porque existe companhia,
Sozinho, entendo o quanto este mundo sem os outros, pouco é e aborrece.

Gosto de estar sozinho, mas a companhia faz-me falta
Nem um é tanto, nem o outro tão pouco,
Diversamente complementares neste universo louco,
Sabe tão bem esse abraço e cumplicidade da companhia,
Como o tão encantador sossego, da minha sozinha parceria.

Gosto de estar sozinho, mas a companhia faz-me falta,
As criaturas na sua complexidade consomem-me até ao tutano,
Por vezes a solidão descomplica, abrigando-me de tudo o mundano.
Mas sem essa constante azafama, eu provavelmente, não existia,
Reciprocamente, Sem mim, tu não o eras. E sem ti eu não seria!

Gosto de estar sozinho, mas faz-me falta a companhia..

JPVG
(15 de Dezembro 2016)

Anúncios