Feliz?

Está feliz?
Tens de estar!
Porquê?
As escolhas fizeste-as tu,
Mesmo quando mal, tu decidiste,
Podias, mas nunca da incumbência fugiste!
E agora estás aqui.
Pode não ser o que sonhaste,
Talvez, não aquilo, em que te imaginaste,
Mas foste tu e só tu, que até aqui chegaste.
Como? Só tu o sabes!
Se infeliz estás,
Sonhas mais do que vives,
Perdes-te em “ses” demasiados,
Vive e foca-te no actualmente,
Deixa o passado, em que pensas impaciente,
Só assim podes viver realmente,
Leve, sem ressentimento do presente.
Tiveste tempo para mudar!
Se não o quiseste, não vale a pena chorar,
Se o queres, sê firme e fá-lo por mostrar!
Olha-te, vê-te, ouve-te!
És tu quem por ti vive,
És tu que decide,
Ninguém o faz ou por ti tem de fazer,
Entre dicas, conselhos, opiniões,
És sempre tu que tem de escolher!
Tu e mais ninguém,
Que se tem de desenrascar, desemerdar,
Das lutas e voltas que a vida te obrigar a dar!
Paixão, essa encontrá-la-ás no dia a dia,
Em amar e aproveitar, até ao tutano tudo o que tens,
Lutando pelo que não tens,
Sem excessiva obsessão se não for essencial,
Sabendo que no fim, a bem ao mal,
Todos da mesma forma vamos acabar,
Anda! Que o tempo não pára de contar!

JPVG – 14.07.2018

Anúncios