A Vida

Há coisas que são sagradas, não se debatem, são universais,
Valores invioláveis, que hoje em dia, tendem a não o ser mais!
Relativizados por quem vivo está, tornaram-se questionáveis,
De perspectivas, agora dependem, fundamentais princípios.

A apregoada liberdade, só com a existência, gozar podemos,
Mas, para dessas dádivas usufruir, necessário é, nascer.
Qualquer um, independente da situação, merece viver,
No útero, no lar ou hospital, toda a vida dignidade ter!

Desde o primeiro instante, ao último suspiro, tudo é vida,
Facto, inocultável, pela suposta legalidade, ou falsa liberdade,
O que, sem aflorado significado, o suicídio e homicídio,
Têm em falta de clemência. É desumano, tamanha crueldade!

Não podendo ser violada, instrumentada ou economizada,
Cuidada e protegida, deve ser a vida, mais que discutida.
Toda a vida é preciosa, respeito e lealdade é-lhe merecida,
Sempre pela vida! Essa, nos nossos dias a mais descriminada!

A vida bela! É festa, alegria, experiência, descoberta e amor,
Contudo por vezes também custa, é sofrimento, perda e dor,
Mas é isso que nos completa, faz parte desta nossa caminhada,
É esta a sua essência. Sem isso, não era vida, e seríamos nada!

Com boas intenções, podemos tentar enganarmo-nos,
Mas quando sem subterfúgios e conscientes, sabemos:
Quem defende e desculpa a morte, não ama a vida,
Que sem tréguas, deve ser incessantemente, defendida!

(Escrito a 29.05.2016 )

Anúncios